Fotos: Formação da 13ª turma dos Agentes de Responsabilidade Social

Dialogus Consultoria • 18 set 2014

Formação da 13ª turma dos Agentes de Responsabilidade Social desenvolvido pela Dialogus em parceria com a conceituada instituição, SESI.

Segundo o Instituto Ethos, Responsabilidade Social Empresarial (RSE) é a forma de gestão que se define pela relação ética e transparente da empresa com todos os públicos com os quais ela se relaciona e pelo estabelecimento de metas empresariais compatíveis com o desenvolvimento sustentável da sociedade, preservando recursos ambientais e culturais para as gerações futuras, respeitando a diversidade e promovendo a redução das desigualdades sociais.

O tema RSE tornou-se fundamental nas organizações de alto desempenho do novo milênio. Não à toa, grandes empresas investem na gestão sustentável como prerrogativa de crescimento contínuo e de longo prazo, como Ypê e Natura. Para isso, é necessária a visão sistêmica do CEO da organização: a sabedoria que a empresa é parte do “guarda-chuva” maior, a Terra. Por conta disso, deve-se ter a preocupação do impacto que sua organização e/ou produto causam no planeta e na sociedade em geral. Tudo está interligado.

A grande questão é como garantir que investimentos em Responsabilidade Social Empresarial possam gerar retornos para a empresa?

Para compreender melhor esta indagação, precisamos dimensionar três retornos possíveis desses investimentos: retorno em branding, engajamento dos stakeholders e retorno financeiro. O primeiro está ligado ao prestígio que a empresa gera com ações sustentáveis, como a Ypê, que sempre teve sua marca atrelada ao desenvolvimento sustentável, desde os sabões biodegradáveis às embalagens mais econômicas e recicláveis, passando pelo sucesso da campanha Florestas Ypê (gerando mais de meio milhão de árvores plantadas).

O segundo é atrelado ao relacionamento que é gerado com os stakeholders ( “públicos de interesse, grupos ou indivíduos que afetam e são significativamente afetados pelas atividades da organização: clientes, colaboradores, acionistas, fornecedores, distribuidores, imprensa, governo, comunidade, entre outros”). Os públicos geram uma relação de ganha-ganha com a organização, se ganha a solução da necessidade pelo viés sustentável e ganha o ofertante (empresa) pela solução dos problemas com retorno financeiro. Além de a sociedade em geral ganhar pela relação oferta X demanda de forma ecológica, social e ambientalmente correta.

Já o retorno financeiro é aquele que gera vantagem econômica a partir de investimentos em RSE, como a Natura que em 2004 lançou campanhas de preservação do meio ambiente e gerou um crescimento de 191,32% em suas ações. Além disso, o aumento de vendas (a partir de modelos sustentáveis de embalagens) é outra vantagem financeira que a empresa gerou com o lançamento da embalagem da linha SOU, sucesso de vendas.

Em geral, ao analisar os retornos desses investimentos possivelmente teremos como respostas o valor agregado da marca e a eficiência de uma gestão sustentável, levando nossas organizações ao sucesso em longo prazo.

Artur Freitas – Acadêmico de Administração pela UFC e estagiário da Dialogus Consultoria.

 

Fórum IEP de sustentabilidade 2014- dias 6 e 7 de novembro, no Centro de Eventos do Ceará, em Fortaleza. Realizado pelo Instituto de Educação Portal (IEP), o evento tem como objetivo conclamar prefeituras, empresas privadas, terceiro setor, instituições de ensino superior e sociedade civil para juntos trabalharem em prol dos ODM – Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, um compromisso da ONU em parceria com 191 países que realizam ações e projetos através dos 8 Jeitos de mudar o mundo.


Deixe um Comentário

NOSSOS CLIENTES

Receba nossa newsletter e fique por dentro das novidades.

Torne sua organização socialmente responsável. Entre em contato conosco e prontamente responderemos!