Curso Sustentabilidade para pequenas e médias empresas

Dialogus Consultoria • 29 jul 2016

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO 2015

Curso Negócios Sociais como forma de captar recursos para as organizações do Terceiro Setor!Dia 09 de Agosto. Vagas limitadas.

PLANEJAMENTO ESTRATEGICO 2015

É com muita alegria lançamos o nosso mais novo negócio. Elaborado sob uma demanda de mercado e especificamente direcionado tanto para empresas privadas como para as organizações do Terceiro Setor. Já está no site toda a programação dos cursos que preparamos pra você e sua empresa. Programe-se e venha dialogar conosco em sala de aula. Acesse o nosso site e reserve já sua vaga em um de nossos cursos planejados para este 2º semestre: http://www.dialogusconsultoria.com.br/

13731517_904786619633250_4268899735151157763_n

Inicio este artigo com alguns questionamentos e reflexões para você que lê o título e se atrai pelo tema. Será que você sabe que a nova LEI Nº 13.146, DE 6 DE JULHO DE 2015, Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência), entrou em vigor neste início de 2016, e que a lei de cotas já existe há 24 anos? Você imagina que as empresas poderiam trabalhar a inclusão, não apenas como imposição legal mas também como oportunidades de ganho e agregação de valor nos negócios? Para as pessoas com deficiência (PCD), esta Lei, sem dúvida, foi uma grande conquista, já que seus direitos estarão mais preservados, como também as possibilidades de crescimento profissional poderão ser potencializadas. Com a lei em vigor, as empresas terão como desafio, além de cumprir o que está previsto em lei, fazer com que a inserção dessas pessoas seja mais assertiva e crie boas experiências e resultados positivos para ambas as partes.

A legislação brasileira determina que companhias que tenham mais de 100 funcionários devam destinar de 2% a 5% de suas vagas para esse perfil de colaboradores. No entanto, é de extrema sabedoria e coerência que uma empresa, ao contratar pessoas com deficiências (PCD), não vise apenas o percentual de cota a ser cumprido, e sim a integração deles ao ambiente de trabalho, contribuindo desta forma com a discriminação e a marginalização desses trabalhadores. Destaco um resultado de uma pesquisa feita pela CATHO que mostra que a necessidade de cumprir as cotas é responsável por 86% dos profissionais de RH. Por outro lado, 2% dos entrevistados consideram a valorização à diversidade como estratégia para a organização.

Já é tempo de mudar esse panorama, já que ter no quadro de funcionários PCD também pode ser produtivo e lucrativo, já que é possível ter um retorno de talentos com esses profissionais a partir do momento que seja atribuída a eles uma política estruturada de acessibilidade. Destaco como ações específicas de políticas de inclusão:

. Estabelecer a inclusão em seu processo de contrato e seleção;

. Flexibilizar critérios de seleção para permitir que pessoas com deficiências sem escolaridade formal participem do processo;

. Aprovar para contratação fora do planejamento anual, em casos de identificação de profissional com deficiência;

. Investir em comunicação com foco nesse segmento;

. Participar de feiras de tecnologia em reabilitação, inclusão e acessibilidade como forma de divulgar vagas de empregos;

. Investir em ações de conscientização das equipes, favorecendo a eliminação das barreiras comportamentais e de preconceito;

. Realizar benchmarking nas empresas modelo em políticas de inclusão.

Considerando que o maior desafio das empresas é ainda descobrir suas próprias deficiências, é oportuno que elas trabalhem a “surdez”, que não lhes permite ouvir o chamado da nova era da inclusão; a “cegueira”, que as impede de ler as boas práticas de adoção à diversidade e, por fim, a “paralisia”, que as impede de dar um passo para reverter esse quadro e poder contribuir para um mundo mais justo e inclusivo.

Maiso Dias – Sócio-Diretor da Dialogus Consultoria

maiso@dialogusconsultoria.com.br

O protagonismo juvenil diz respeito ao envolvimento, participação e atuação do jovem nas diversas esferas sociais existentes, como política, ciência, educação, economia etc. Segundo o Estatuto da Juventude, LEI Nº 12.852, DE 5 DE AGOSTO DE 2013, é considerado como jovem toda pessoa que possui entre 15 (quinze) e 29 (vinte e nove) anos.

Urge lembrar que o Primeiro, Segundo e Terceiro Setor têm o compromisso pelas Políticas Públicas de Juventude (PPJ) capazes de transformar o meio desses indivíduos e propiciar um futuro de qualidade para todos.

De forma visionária e alinhada à filosofia da empresa, a Dialogus Consultoria possui a Causa Social – Protagonismo Juvenil com o apoio de diversas parcerias (empresas, organizações do Terceiro Setor e órgãos governamentais) para potencializar lideranças juvenis protagonistas de sua própria história.

Entendemos que o jovem deve ser empoderado de diferentes perspectivas, como Qualificação Profissional, Incentivo à Cultura e Arte, Apoio à Educação, Incentivo à Diversidade e revolucionando o Meio Ambiente. Para tanto, nós da 1ª consultoria em Responsabilidade Social do Ceará estamos desenvolvendo várias capacitações, projetos com enfoque empreendedor, apoio à cultura e orientações profissionais para jovens entre 15 e 29 anos de idade. Acreditamos que os setores da sociedade: Primeiro (Governo), Segundo (Empresas) e Terceiro (organizações da sociedade civil) devem caminhar juntos na elaboração e execução de Políticas Públicas de Juventude em prol do desenvolvimento sustentável.

A equipe da Dialogus Consultoria é envolvida com o Protagonismo Juvenil, através de visitas e projetos de consultoria em organizações da sociedade civil que possuem como o público-alvo os jovens e adolescentes. Por este motivo estabelecemos três pilares centrais de nossa Causa: Empreendedorismo e Inovação, Jovens no Mercado de Trabalho e Inclusão Social da Juventude, Cada tema possui subdivisões distribuídas durante o ano.

Abaixo apresentamos o calendário de ações de todo o ano:

Pilares

Temas

Meses

Jovens no Mercado de Trabalho Qualificação dos Jovens para o Primeiro Emprego De Abril a Junho
Empreendedorismo e Inovação Empreendedorismo Juvenil na Educação Básica De Abril a Junho
Protagonismo Juvenil na Dança De Julho a Setembro
Inclusão Social da Juventude Centros Educacionais e Ressocialização de Jovens De Julho a Setembro
Cultura e Juventude De Outubro a Dezembro

Para ficar atento às novidades sobre nossa Causa Social, acompanhe nossas redes sociais:

Facebook, Instagram: Dialogusrse

 

Autor: Artur Freitas – Consultor da Dialogus Consultoria


Deixe um Comentário

NOSSOS CLIENTES

Receba nossa newsletter e fique por dentro das novidades.

Torne sua organização socialmente responsável. Entre em contato conosco e prontamente responderemos!