Movimento Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS na Dias de Sousa

Dialogus Consultoria • 31 jul 2017

Nosso diretor, Maiso Dias, que representa o Movimento Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável – ODS, esteve nesta quinta feira à tarde apresentando para o nosso cliente, Dias de Sousa , as vantagens de ser signatário do Movimento que é uma iniciativa da ONU para a erradicação da pobreza e da fome no mundo. Ficamos felizes pela oportunidade de estarmos Dialogando com o nosso cliente e os ODS.

ABRH-CE – Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Ceará em parceria com a Dialogus Consultoria em Responsabilidade Social convidam para a 12ª edição do Ciclo de Debates RH e Sustentabilidade, que abordará a temática “O papel do RH na Sustentabilidade Empresarial”. O evento é gratuito e ocorrerá no dia 23 de Agosto das 09h30 às 11h30.

A palestra será ministrada por Verbena Medeiros, que é Coordenadora de Sustentabilidade da Unimed Fortaleza e Professora de Pós-Graduação do Curso de Sustentabilidade Empresarial e Responsabilidade Social do Centro Universitário Christus (UniChristus).

Satisfazer as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidades, é usualmente o conceito da Sustentabilidade. Essa definição foi moldada durante a conferência da Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1983. Desde então, o assunto que envolve o desenvolvimento sustentável no âmbito das organizações (sejam elas empresas ou instituições do Terceiro Setor) e indivíduos em geral foi sendo disseminado como um papel a ser incorporado.

Dessa forma, vários fatores contribuíram para que a temática da Sustentabilidade saísse do contexto mais distante da mente desses agentes de impacto (organizações e indivíduos) e obtivesse maior popularidade. Inicialmente cito às próprias mudanças no contexto dos pilares da Sustentabilidade (Social, ambiental e econômico). No âmbito social e ambiental, pode-se afirmar que às mudanças se processam de forma mais visível, a partir do momento que o consumo aumentou, a capacidade da terra em fornecer os recursos é inversamente proporcional. Assim como, os impactos que a exploração ambiental e de capital social geram diversas outras problemáticas. Cenário que não difere muito do pilar econômico já que a visão da exploração de recursos e consumismo, desencadeiam empreendimentos e produtos que visem somente o aspecto financeiro, anulando ou de forma superficial abordando os fatores sociais e ambientais relacionados.

Portanto, a adoção da sustentabilidade no dia a dia dos indivíduos e organizações pode ser tangibilidade e inserida através de ações simples.

Diversas outras ações podem ser pensadas e adotadas para a contribuição com o desenvolvimento sustentável, mas para que essas ações sejam efetivamente sustentáveis, é necessário que sejam praticadas de forma contínua.

No âmbito das empresas é fundamental a adoção de políticas que descrevam as ações priorizadas e seus respectivos direcionamentos. E no âmbito do indivíduo se faz necessário o compartilhamento e conscientização dos seus próximos, para que as ações sejam desenvolvidas em conjunto.

Assim, além de desenvolver as ações seja no âmbito da empresa ou indivíduo é fundamental compartilhar a consciência da Sustentabilidade, para que a transformação possa ocorrer e possibilitar impactar de forma abrangente.

Thays Garcia – Consultora da Dialogus

Estivemos hoje pela manhã reunidos com todos os diretores do Instituto CDL, inclusive com a presença de Severino Neto, Presidente da CDL Fortaleza, desenvolvendo o Planejamento Estratégico com foco em Sustentabilidade para o fortalecimento desta conceituada Instituição do Terceiro Setor e sua causa.

Nesta manhã, os consultores da Dialogus, Felipe Amorim e Thays Garcia, estiveram no nosso cliente Dias de Sousa ministrando uma palestra sobre Sustentabilidade no dia a dia para os colaboradores das áreas de gestão.

estão.

A Compra Sustentável é a utilização de critérios sustentáveis que uma organização emprega como premissa para realizar compras em fornecedores. Esses critérios variam desde um posicionamento de marca e engajamento dos fornecedores à própria estratégia de sustentabilidade.

Este assunto vem ganhando cada vez mais espaço nas estratégias das organizações, sendo reconhecida como uma das maneiras mais eficazes de contribuírem para o Desenvolvimento Sustentável e construírem uma atuação mais responsável, que inclusive corrobora com as diretrizes dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável aprovados pela Assembleia Geral da ONU.

Incluir compras sustentáveis em uma organização implica em mudanças consideráveis na forma como a gestão de compras e de contratos são tratadas. Contudo, nesse contexto, o setor de compras terá oportunidade de fornecer maior valor para a sua organização com: o aumento da sua contribuição para a estratégia de sustentabilidade; uma melhor gestão dos riscos e regulamentos; melhoria da avaliação do valor e desempenho; e melhor comunicação entre compradores, fornecedores e todas as partes interessadas.

Nesse cenário, as escolhas de compras mudariam do “menor preço” para o “melhor preço”. Assim, o mercado de produtos e serviços que se diferenciam por serem mais sustentáveis e são mais valorizados que a concorrência.

Felipe Amorim – Consultor da Dialogus

Nossa consultora Manoela Silva, está nesse momento apresentando palestra sobre Sustentabilidade no Café e Sustentabilidade, evento que acontece pela parceria da AEDI e  Dialogus Consultoria. No encontro está sendo abordado, pelo Núcleo de Econômia Estratégica  da FIEC, nosso parceiro, a ferramenta de diagnóstico Bússola da Sustentabilidade, instrumento que a avalia o processo de incorporação da sustentabilidade nas empresas.

Para compreender de maneira didática o que significa Economia Circular, podemos começar explicando o seu oposto: A economia linear, que é o modelo tradicional que vivemos e já estamos acostumados, onde os recursos são extraídos, utilizados para desenvolver produtos, estes são consumidos, e em seguida descartados. Ou seja, seguem o processo linear: extração, transformação, consumo e descarte.

Em contrapartida, a Economia Circular é um sistema que propõe transformar essa lógica vigente para um modelo sustentável baseado na reciclagem e revalorização dos produtos. Ou seja, o objetivo é quebrar a ideia de descarte de produtos, excluir o conceito de lixo, e potencializar a ideia do reaproveitamento de recursos, sejam eles biológicos (naturais), ou técnicos, j. Essa proposta tem uma razão clara e óbvia por trás: Os recursos são finitos. Portanto, até mesmo por questão de sobrevivência, faz-se necessário buscar alternativas para construir uma indústria restaurativa, consciente do seu impacto na sociedade.

O Conceito de Economia Circular ganhou força e tornou-se oficialmente um movimento mundial através de Ellen MacArthur, uma britânica, ex-velejadora profissional que viajou sozinha por 71 dias em alto mar, percorrendo mais de 50 mil quilômetros sem reabastecimento de recursos (combustível, alimentos e água). Ellen inspirou-se nessa “aventura” e teve a confirmação acerca de uma premissa básica e fundamental para a sustentabilidade da sociedade moderna: O ato de reaproveitar deve ser predominante, contínuo e sistemático.

Nesse modelo, o crescimento econômico deixa de estar diretamente ligado ao aumento da extração e consumo de novos recursos, e facilita a inovação no aproveitamento de recursos que já estão dentro de algum processo de produção.

A Economia Circular é uma tendência e um movimento em ascensão nos últimos anos, vista a importância da sua implementação para a sobrevivência das futuras gerações. Os trabalhos da Fundação Ellen MacArthur também estão provando os relevantes benefícios econômicos resultantes da implantação da economia circular. Portanto, cada organização existente na sociedade, seja ela pública ou privada, devem buscar seguir essa tendência como forma de impulsionar o seu desenvolvimento sustentável.

Gabriel Pires – Consultor da Dialogus

Participamos no dia 04 de julho de 2017 de um importante encontro com o Terceiro Setor do Ceará promovido pelo governo estadual. O nosso o diretor, Maiso Dias, foi o palestrante que encerrou o seminário “Compartilhando Saberes com o Terceiro Setor”. Estavam presentes, autoridades políticas, gestores e representantes da sociedade civil do Ceará. Maiso abordou o tema da Sustentabilidade no Terceiro Setor e agradou bastante o público, que fez perguntas e o procuraram depois da palestra para trocar ideias. Adoramos Dialogar com o governo e o Terceiro Setor juntos. #vamosdialogar #terceirosetor #sustentabilidade

Confira nossa programação de cursos para o 2º semestre de 2017.
Faça sua inscrição pelo site https://goo.gl/wGbG8p.


Deixe um Comentário

NOSSOS CLIENTES

Receba nossa newsletter e fique por dentro das novidades.

Torne sua organização socialmente responsável. Entre em contato conosco e prontamente responderemos!