VI CURSO DE GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL – 2018

Dialogus Consultoria • 29 jan 2018

LANÇAMENTO! A Dialogus lança o curso de Gestão da Responsabilidade Social – Turma VI. Uma excelente oportunidade de aprendizagem e capacitação para você e sua empresa. Venha aprender com os especialistas do tema e aplicar as melhores ferramentas de gestão na sua empresa.

Faça sua inscrição: https://goo.gl/Yfid7c

 

 

 

 

 

 

 

 

Seja bem-vindo, Lar de Clara. O nosso mais novo cliente é uma Organização do Terceiro Setor que segue a doutrina espírita e que atua em comunidades com ações sociais de educação, esporte e música. Estamos muito felizes por Dialogar a partir de agora com esta importante instituição para a sociedade. Vamos desenvolver toda a governança com foco na sustentabilidade financeira do Lar de Clara. #vamosdialogar #terceirosetor

O diretor da Dialogus Consultoria, Maiso Dias, ministrou capacitação sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU para toda equipe de educadores e instrutores do IJCPM (Instituto João Carlos Paes Mendonça) das unidades RioMar Fortaleza (Papicu e Kennedy).

O objetivo é envolver os educadores no cumprimento da Agenda 2030, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) que conta com o Projeto Brasil ODS 2030 — iniciativa realizada em todo o país para debater a importância da implementação dos Objetivos Globais de desenvolvimento sustentável.

Continue lendo a matéria nos links:

Nosso consultor, Felipe Amorim, está conduzindo os trabalhos no nosso cliente em Quixadá – Colégio Sagrado Coração de Jesus. Ao lado da diretora e de alguns gestores o nosso consultor está bastante interessado em conhecer um pouco mais da tradição de 80 anos desta relevante Instituição.

Contribuir para um mundo melhor e mais inclusivo é também capacitar instrutores do Instituto João Carlos Paes Mendonca (IJCPM) do RioMar nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU. Nosso diretor, Maiso Dias, realizou hoje uma capacitação sobre os ODS para toda equipe de educadores do IJCPM do RioMar (Papicu e Kennedy). O ODS Educação foi o tema transversal que foi trabalhado com os outros ODS.

 

 

 

 

 

 

 

 

O público LGBT(Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Transgêneros) apresenta características interessantes para o mercado, que recentemente compreendeu a relevância desse segmento e tem voltado a sua atenção para o mesmo, direcionando campanhas publicitárias com a apresentação de casais homossexuais, como uma forma de demonstrar que respeitam a diversidade de constituição familiar, de modo que os mesmos sintam-se acolhidos para consumir os produtos e serviços disponíveis. Empresas dos setores bancário (Santander e Caixa Econômica Federal, por exemplo) e de turismo (como a Be Happy Viagens) têm aproveitado o potencial desse público para estreitar o seu relacionamento com os seus integrantes.

O público LGBT apresenta características de consumo singulares, pautadas pelo simbolismo envolvido na aceitação do indivíduo perante o grupo ao qual quer pertencer. A sigla GLS (Gays, Lésbicas e Simpatizantes) representa um dos instrumentos que o Marketing brasileiro encontrou para deixar à vontade quem ainda não se sente seguro para assumir a sua opção sexual participar dos eventos do grupo LGBT como um simpatizante, o que permite que esse indivíuo preserve a sua privacidade, deixando a dúvida se ele é um LGBT ou se simplesmente simpatiza e luta contra o preconceito para com esse grupo.

Quanto ao comportamento de consumo desse público, faz-se necessário entender que ele não quer um tratamento diferenciado e nem frequentar lugares frequentados somente por LGBTs, mas sim ser tratados como qualquer outra pessoa heterossexual, já que para eles a orientação sexual não é determinante em seu comportamento de consumo. Uma de suas queixas é que os funcionários dos estabelecimentos não foram treinados para atendê-los com naturalidade (Exame, 2014). Apesar dos avanços verificados por parte das empresas brasileiras em suas campanhas publicitárias e criação de produtos, ainda há muito a desenvolver para que o tratamento ao consumidor LGBT seja mais natural e inclusivo. Afinal, trata-se de um segmento valioso para o mercado, devido ao seu perfil, com escolaridade e renda médias mais altas quando comparadas com um casal heterossexual tradicional. Além disso, é um público com potencial para usufruir o turismo criativo, apresentado sob o olhar de Richards e Wilson (2006), que permite ao seu utilizador a vivência de uma experiência local, sendo o protagonista da mesma e não um mero espectador, como ocorre com o turismo cultural.

Leila de Queiroz Porto Moura e Pâmela Mossmann de Aguiar Mestrandas em Marketing na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra – FEUC – Portugal

 

É possível perceber com mais frequência notícias envolvendo falta de ética e corrupção tanto no ambiente corporativo, como na esfera política. Não obstante, os escândalos no âmbito empresarial envolvem principalmente as lideranças e afetam toda a estrutura organizacional fazendo até com que esse fato faça a empresa perder espaço no mercado. Esse cenário faz refletir sobre a importância da ética empresarial e até que ponto as lideranças são responsáveis pela disseminação do comportamento ético para os demais colaboradores e para sua cadeia de valor.

O termo Ética, deriva da palavra grega ethos e consiste em hábitos e costumes, valores morais que dão direção a conduta humana em sociedade. Outra temática que têm surgido e se fortalecido no Brasil, apesar de ter surgido por volta de 1906 na legislação americana, é o Compliance. O termo surgiu do verbo inglês “to comply”, que significa estar de acordo, estar em conformidade e vem ganhando força por parte de empresas que desejam conhecer e aplicar na gestão. De forma prática o Compliance pode ser caracterizado como um conjunto de medidas que irão permitir a organização estar em conformidade com leis e regulamentos a fim de garantir a ética e transparência em todos os relacionamentos, como forma de Governança Corporativa.

Diante do cenário de incertezas e crise ética na sociedade muitas empresas têm se questionado: Afinal, é possível uma empresa adotar a Ética e Compliance? A resposta para esse questionamento é simples: sim, é possível! Contudo, como qualquer alteração no cenário organizacional exige tempo e lida com diversas variáveis, as empresas não “nascem” com ética em sua cultura, sendo assim, não há como “adotar” de forma prática e rápida esse comportamento.

Por exemplo, muitas empresas consideram que a adoção ao Código de Ética já irá torná-las éticas, o que na verdade, considero o contrário, a adoção dessa ferramenta irá torná-las compromissadas. Contudo, o que irá de fato comprovar a ética são as ações que as empresas empreendem e como se posicionam com relação a seus públicos, ferindo ou não princípios do código de ética. Se não fosse assim, empresas que possuem Código de Ética e gestão de Compliance não estariam na Lava Jato (escândalo de corrupção mais recente no Brasil).

Dessa forma, para adotar a Ética e o Compliance, as organizações precisam atentar para alguns pontos:

  1. É preciso que a alta gestão da organização tenha consciência do que é Ética e Compliance e se comprometa com as futuras ações que venham ser adotadas nesse contexto;
  2. A empresa pode considerar incialmente um diagnóstico situacional com relação a temática (Ética e Compliance), o que lhe dará insumo para a elaboração do Código de Ética;
  3. Além de possuir o Código de Ética é necessário disseminá-lo, assim, a empresa pode adotar formas diferentes de comunicá-lo para cada stakeholder (público de interesse);
  4. O diagnóstico realizado também poderá contribuir na implementação do Compliance, momento em que a empresa irá estabelecer metas e a que nível de gestão da ética e da transparência quer chegar. Por exemplo, implementar um Sistema de Compliance, alcançar selos e certificações, etc;
  5. Além disso, as empresas podem procurar filiar-se a inciativas que disseminam a temática da ética, dentre elas: Pacto Empresarial pela Integridade e contra a Corrupção, Pacto Global, Selo Empresa Pró-Ética, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, Prêmio Ética nos Negócios, Guia Temático de Integridade e Contra Corrupção do Instituto Ethos de Responsabilidade Social, Guia temático Anticorrupção do Pacto Global, dentre outros;
  6. Após a implementações de ações, políticas e códigos para que a empresa mostre que valoriza o posicionamento e age com ética, é necessário constante avaliação e crescimento contínuo do tema, pois a ética não é estática, ela se movimenta em todos os âmbitos da empresa e recebe influências internas externas.

Assim, adotar a Ética e Compliance não é uma tarefa fácil, exige compromisso e entendimento de que este posicionamento vai além de papeis e documentos para ações concretas. Ao ritmo em que a Sociedade e os consumidores em geral vêm exigindo posicionamentos mais transparentes das empresas, fica claro que é necessário um primeiro passo para o alcance de conquistas na Ética empresarial.

Thays Garcia – Consultora da Dialogus

Foi firmada hoje pela manhã uma grande parceria da Dialogus com a ChildFund Brasil, uma organização internacional de apoio ao desenvolvimento de crianças e adolescentes, junto com o nosso cliente,  Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim-MSMCBJ. Nosso diretor, Maiso Dias, ao lado do diretor nacional da ChildFund Brasil, Gerson Pacheco. Seremos articuladores desta importante parceria em prol da disseminação da Tecnologia Social da Abordagem Sistêmica Comunitária (ASC) para todo o Brasil. Estamos muito felizes por esta conquista. 2018 JÁ COMEÇOU!

Retomamos as atividades ontem no nosso cliente que é referência no Terceiro Setor no protagonismo juvenil, Instituto Beatriz e Lauro Fiuza. Será um ano de estruturação da governança desta conceituada instituição do Ceará.

Estivemos na terça feira(09) no nosso cliente, Colégio Santa Isabel, planejando 2018 com diretores, gestores e professores. Já assessoramos o nosso cliente há 04 anos e sabemos que este ano teremos novos grandes desafios. Na imagem destacada o nosso diretor, Maiso Dias, ao lado da diretora do colégio, Ir. Lioneide e o nosso consultor, Felipe Amorim.


Deixe um Comentário

NOSSOS CLIENTES

Receba nossa newsletter e fique por dentro das novidades.

Torne sua organização socialmente responsável. Entre em contato conosco e prontamente responderemos!